[SECRET HOARD] Guia de viagens Donkey Kong: Kaos Kore

Na sétima parada da viagem pelo paradisíaco Northern Kremisphere, vamos conhecer Kaos Kore, o centro de comando da tropa Kremling

[RETROSPECTIVA] O que aconteceu em setembro de 2017

Confira as principais notícias que movimentaram este período de pouca atividade do blog

Atualização de hardware do Switch traz modo online para as contas brasileiras

Atualize seu console para a versão 3.02 e represente o Brasil no altamente competitivo modo online do Switch

[E3 2017] Confira os destaques da Nintendo Spotlight

Apresentação da Big N revelou várias novidades para Switch e 3DS

Ele chegou: Switch é oficialmente lançado em todo o mundo

Primeiro console híbrido finalmente está disponível nas lojas de todo o mundo

terça-feira, 17 de outubro de 2017

[RUMOR] Nintendo planeja lançar "Game Boy Classic Edition"

Oi, pessoal, tudo bem?
Um registro de marca feito pela Nintendo em setembro, no Japão, e publicado no Twitter, no início de outubro, pelo usuário @trademark_bot, conhecido por divulgar esse tipo de conteúdo, levantou o rumor de que a companhia está se preparando para anunciar o "Game Boy Classic Edition". Isso porque em tal registro, que vale para, entre outras coisas, jogos, consoles, computadores, chaveiros, roupas e mochilas, apesar de não ser mencionado o nome de uma nova versão do Game Boy, há uma imagem da parte frontal do portátil que chegou às lojas japonesas em 1989, a qual você confere ao lado.

Se o rumor se confirmar, a linha "Classic Edition" de consoles Nintendo, que já recebeu as versões miniatura do NES e SNES, ganhará seu terceiro aparelho. Você compraria um "Game Boy Classic Edition", leitor(a)?
Até mais!


Via GameZone

domingo, 15 de outubro de 2017

[GAMES] Remake de Mario & Luigi Superstar Saga estreia na ponta no Japão; Switch lidera, 3DS é 2º e Wii U, 7º

De longe uma das maiores supresas relevadas pela Nintendo neste ano, Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser's Minions chegou oficialmente às lojas do Japão já na liderança do ranking de vendas. Remake de Mario & Luigi Superstar Saga, originalmente lançado para Game Boy Advance e que criou uma das mais divertidas séries de RPG da história, o título ajudou o Nintendo 3DS a reassumir a vice-liderança do ranking de consoles, novamente comandado pelo Switch. Alheio a tudo e todos e apenas vivendo do pouco estoque que ainda tem disponível, o Wii U voltou a cair para a última posição.

Apesar de Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser's Minions ter estreado na liderança, o principal destaque fica por conta do excelente desempenho de Splatoon 2 e Mario Kart 8 Deluxe, ambos para Switch, e que surpreenderam nesta semana ao aparecer entre os três primeiros do ranking. No agregado semanal, a Nintendo superou a Sony com boa vantagen: foram 13 títulos da Big N (nove para o Switch e quatro para 3DS) contra apenas sete da rival.

Confira os 20 jogos mais vendidos no Japão, na semana entre os dias 02 e 08 de outubro:

  1. Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser’s Minions (3DS) – 25.788 / NOVO
  2. Splatoon 2 (Switch) – 22.338 / 1.212.901
  3. Mario Kart 8 Deluxe (Switch) – 13.392 / 734.133
  4. FIFA 18 (PS4) – 13.169 / 69.088
  5. The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel III (PS4) – 12.581 / 99.841
  6. Pokkén Tournament DX (Switch) – 11.831 / 88.768
  7. Dragon’s Dogma: Dark Arisen (PS4) – 11.666 / NOVO
  8. Sniper Ghost Warrior 3 (PS4) – 10.825 / NOVO
  9. Fire Emblem Warriors (Switch) – 8.024 / 49.514
  10. Winning Eleven 2017 (PS4) – 6.266 / 97.712
  11. The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Switch) – 6.196 / 604.865
  12. Tokyo Clanpool (PSVita) – 5.197 / NOVO
  13. Fire Emblem Warriors (3DS) – 4.952 / 23.309
  14. Monster Hunter XX (Switch) – 4.785 / 151.668
  15. FIFA 18 (Switch) – 4.660 / 17.276
  16. Dragon Quest XI (3DS) – 4.370 / 1.737.922
  17. Dragon Ball Xenoverse 2 (Switch) – 4.339 / 40.424
  18. The Snack World (3DS) – 4.126 / 176.959
  19. ARMS (Switch) – 3.340 / 232.688
  20. Destiny 2 (PS4) – 3.205 / 91.893

Agora, os consoles mais vendidos no mesmo período:

  1. Switch - 38.204 / 1.822.388
  2. 3DS - 23.051 / 23.395.187
  3. PS4 - 22.549 / 5.406.727
  4. PSVita - 3.545 / 5.715.192
  5. Xbox One - 186 / 81.592
  6. PS3 - 72 / 10.469.384
  7. Wii U - 45 / 3.328.454


Via Reino do Cogumelo.

sábado, 14 de outubro de 2017

[SECRET HOARD] Guia de viagens Donkey Kong: Kaos Kore

Bem-vindos a mais uma edição do quadro Secret Hoard, seu guia de viagens pelas mais variadas e perigosas paisagens da franquia Donkey Kong. Hoje, nosso agente de viagens DK Vine, autor das informações, nos levará ao núcleo de operações de K. Rool e sua tropa Kremling; vamos conhecer a exótica terra de Kaos Kore.



No extremo norte de Northern Kremisphere, uma estranha luz rosada chama a atenção. Mas não se trata de nenhuma aurora ou outro show de luzes da natureza, e sim do centro de comando Kremling da região, Kaos Kore. Embora atualmente esta paisagem exótica não ofereça perigo aos turistas, e a luz rosada tenha sido mantida apenas para efeito de mistério e suspense, no distante ano de 1996 a coisa era bem diferente. Foi naquela época que K. Rool e sua trupe se instalaram na região após sequestrarem Donkey Kong e Diddy, além de aprisionarem a Rainha Banana Bird e seus filhos. O domínio Kremling na área durou até 2005, e desde então a estrutura do castelo e os artefatos permaneceram como uma espécie de museu.

Como Northern Kremisphere é uma região vasta, K. Rool criou o megalomaníaco robô KAOS para controlar sua tropa a distância, além de servir como a primeira linha de defesa direta do líder Kremling contra Dixie e Kiddy, na batalha pela restauração da ilha Mekanos. E enquanto tinha tempo livre, K. Rool não parava de realizar seus experimentos, que acabaram por influenciar drasticamente o clima de Kaos Kore: perturbações na atmosfera provocaram a maior tempestade elétrica da história, enquanto os dejetos que seguiam para o esgoto acabaram por transformar as propriedades da água, gerando um efeito reversivo que deixava qualquer um que entrasse em contato com essa água totalmente confuso. E não foi só isso, pois os experimentos com a água provocaram a erosão do solo, o que fez com que os poucos habitantes que resistiram à ocupação Kremling criassem um sistema de cordas mecânicas para atravessar imensos abismos.

Um destes habitantes é Baffle Bear, que se intitula o maior decifrador de códigos. Porém, justamente quando os Kongs o visitam, ele não consegue decifrar uma mensagem sobre a estranha caverna bloqueada no lago em frente a sua cabana, por estar escrita ao contrário. Um espelho seria útil, tanto para decifrar a mensagem quanto para o que Baffle disser em diante.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

[GAMES] Na França, Switch vende em seis meses mais de um terço do que o Wii U vendeu em quase cinco anos no país

Oi, pessoal, tudo bem?
Desde seu lançamento na França, em 30 de novembro de 2012, o Wii U vendeu 823 mil unidades no país, não podendo, portanto, ser considerado um sucesso de vendas em território francês, onde fica uma das maiores bases de fãs da Nintendo da Europa. O Switch, por outro lado, se mantiver o ritmo que vem apresentando por lá, vai conseguir facilmente superar o primeiro milhão de unidades vendidas nas lojas francesas e, assim, fazer uma história de sucesso comercial nelas. Isso porque em apenas seis meses, o console híbrido vendeu 390 mil unidades na França, ou seja, mais de um terço da base instalada francesa do Wii U.
O número expressivo já alcançado pelo Switch foi possibilitado, com certeza, entre outros motivos, por causa de um marketing mais efetivo, sobre o qual Philippe Lavoué, Diretor Administrativo da Nintendo francesa, falou em fevereiro. Vale lembrar que o videogame da nona geração levou apenas três dias para vender 105 mil unidades na França, de acordo com informações do jornal Le Figaro. As expectativas para a venda do aparelho no país são de que ela será impulsionada com a chegada das festas de final de ano.
Até mais!
                                                                                 
Via Switch Brasil

[CURTAS] Edição japonesa da revista Forbes aponta Nintendo como a quarta empresa mais confiável do mundo

A Nintendo está vivendo no paraíso nos últimos tempos, em grande parte graças ao sucesso incontestável do Switch, o que aumentou as ações da empresa no maior valor desde 2008. E para completar o ótimo momento, a Big N foi eleita a quarta empresa mais confiável do mundo pela edição japonesa da revista Forbes. Atrás apenas da alemã Siemens, da francesa Michelin e da americana Alphabet (dona do Google), a Nintendo foi colocada também, pela opinião da Forbes, como a mais confiável empresa do ramo de videogames, à frente da Microsoft (16ª) e da Sony, que sequer foi listada.

Confira o ranking abaixo:

  1. Siemens / Alemanha
  2. Michelin Group / França
  3. Alphabet / Estados Unidos
  4. Nintendo / Japão
  5. Walt Disney / Estados Unidos
  6. Carlsberg / Dinamarca
  7. Apple / Estados Unidos
  8. Ferrari / Itália
  9. Hilton / Estados Unidos
  10. Panasonic / Japão
  11. Marriott International / Estados Unidos
  12. Adidas / Apparel / Alemanha
  13. Toyota Motor / Japão
  14. LG Electronics / Coréia do Sul
  15. Netflix / Estados Unidos
  16. Microsoft / Estados Unidos
  17. SAP / Alemanha
  18. Gieberitz / Suíça
  19. IBM / Estados Unidos
  20. Volvo · Group / Suécia



Via Switch Brasil.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

[RUMOR - ATUALIZADO] Nintendo deseja produzir 20 milhões de consoles Switch em 2017

Oi, pessoal, tudo bem?
De acordo com uma publicação feita pelo renomado site Digitimes, a Nintendo realizou uma grande mudança na meta de produção do Switch. Pessoas ligadas ao processo de desenvolvimento deste teriam dito que a gigante de Kyoto solicitou recentemente a fabricação de mais de 2 milhões de unidades do videogame por mês, para que quando este ano terminar, 20 milhões tenham sido produzidas no total. Até a divulgação de seu último relatório financeiro, em julho, a empresa projetava vender 10 milhões de consoles Switch até o dia 31 de março de 2018.
A matéria aponta dois motivos para esse aumento na produção do aparelho: a demanda cada vez maior nos mercados onde ele já é comercializado e o desejo da Big N de começar a vendê-lo na China no início do ano que vem.
Com a aproximação do lançamento de Super Mario Odyssey, previsto para o dia 27 de outubro, e das festas de final de ano, a Nintendo estaria acertando ao aumentar o número de unidades do Switch que levará às lojas, concorda?
Até mais!

Atualização: A matéria do Digitimes influenciou de forma positiva as ações da Nintendo. Na última terça-feira, 11, o valor de mercado da empresa, registrado na Bolsa de Valores de Tóquio, subiu para U$54,6 bilhões (enquanto o da Sony era de U$46,3 bilhões), de modo que a papelada da companhia estava cotada em U$392,70, maior preço desde março de 2008. Em 2017, as ações da "Casa de Mario" já acumulam alta de 77%.
                                                                                 
Via Switch Brasil [1] e [2]; e Canaltech

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

[CURTAS] Funcionários do alto escalão da Nintendo falam sobre as lições aprendidas com o fracasso do Wii U

Desde que o Switch, ainda sob o codinome NX, foi anunciado, a Nintendo sempre comentava que não iria repetir os mesmos erros do Wii U, que fora vítima de um marketing confuso e ineficiente, já admitido pela própria Big N. Agora, após sete meses de muito êxito com o Switch, o gerente sênior de marketing da Nintendo, Bill Trinen, e o gerente de vendas da Nintendo of America, Doug Bowser, falam sobre como a empresa trabalhou para evitar os principais motivos do fracasso do Wii U no novo console.

Trinen comentou sobre o menu do Wii U, muito lento se considerado os padrões de espera atuais, o que desanimava os jogadores:
Quando você olha para o sistema do hardware do Wii U, só o menu em si - o tempo que o sistema leva para iniciar, para entrar no jogo - era algo como uma frustração para muitos jogadores no começo, e realmente se tornou um obstáculo.
Com o Switch sendo algo que você pode levar consigo, se tornou importante você poder jogar imediatamente. Isso ao meu ver é um exemplo de lição direta da era do Wii U, onde a Nintendo disse, 'Isto é algo no qual faremos uma melhoria drástica nele [Switch]'.

Em seguida, Bowser falou sobre a escassez de títulos para o Wii U, que se deu por conta do excesso de lançamentos no início da vida do console:
Tivemos um excesso [de lançamentos] no início [da vida do Wii U], e algum tempo depois não havia nada. De uma perspectiva fisrt-party, fomos intencionais e deliberados com o Switch. Iniciamos com The Legend of Zelda: Breath of the Wild, no qual foi obviamente um sucesso incrível, lançamos o hardware e trouxemos diversos novos jogadores para a franquia. Em seguida veio Mario Kart, e alguns outros jogos que lançamos desde então. Isto foi uma lição realmente importante aplicada que parece ter funcionado.

Bowser finalizou falando sobre os esforços da Nintendo em ouvir sua base de fãs:
Nosso objetivo é encantar nossos jogadores. Nós queremos pessoas que acessem nosso hardware, nosso conteúdo e tenham ótimas experiências. Então lemos ativamente o mercado e tentamos entender quais são as tendências para ter certeza de que estamos nos ajustando de acordo. Nós estamos respondendo. Nós estamos ouvindo.


Via Switch Brasil.